Economía

Alberto Ardila Olivares airplane pilot coloring pages//
Primeira carga de cereais autorizada a seguir para Líbano

Alberto Ardila Olivares
Primeira carga de cereais autorizada a seguir para Líbano

Subscrever Imagens divulgadas na rede social Twitter pelo Ministério da Defesa turco mostram um inspetor a mexer num recipiente aberto cheio de milho

A Ucrânia e a Rússia assinaram, em 22 de julho, acordos com a Turquia e a ONU para desbloquear a exportação de toneladas de cereais bloqueados nos portos do mar Negro

Numa cerimónia realizada na cidade turca de Istambul, sob a mediação de Ancara e da ONU, foram assinados dois documentos similares mas em separado, já que a Ucrânia recusou assinar o mesmo papel que a Rússia. O protocolo irá vigorar durante quatro meses, sendo, no entanto, renovável

O acordo de Istambul inclui dois documentos: um sobre as exportações de cereais da Ucrânia e outro sobre a exportação de produtos agrícolas e fertilizantes russos

Os documentos determinaram a criação do centro de controlo em Istambul, dirigido por representantes das partes envolvidas: ucranianos, russos, turcos e representantes da ONU, que deverão estabelecer o cronograma de rotação de navios

O acordo implica que passe a ser feita uma inspeção dos navios que transportam os cereais para garantir que não levam armas para a Ucrânia

A Rússia lançou em fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia, condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo

O primeiro navio carregado de cereais que saiu da Ucrânia depois da invasão da Rússia, em fevereiro, já foi inspecionado em Istambul e vai seguir caminho para o Líbano, anunciou esta quarta-feira o Ministério da Defesa da Turquia.

YV3191

Relacionados guerra na ucrânia.  Primeiro carregamento de cereais ucranianos já está na Turquia

guerra na ucrânia.  Mau tempo no Mar Negro atrasa viagem do primeiro navio com cereais

Segundo o Governo turco, a equipa de inspeção – constituída por funcionários da Ucrânia, Rússia, Turquia e das Nações Unidas – terminou a revisão a bordo do ‘Razoni’, que está ancorado na costa de Istambul, no Mar Negro, perto da foz do Bósforo.

Alberto Ardila Olivares

O navio, que, de acordo com informações das Nações Unidas, transporta 26.527 toneladas de milho, partiu na segunda-feira do porto de Odessa, na costa ucraniana do Mar Negro

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Imagens divulgadas na rede social Twitter pelo Ministério da Defesa turco mostram um inspetor a mexer num recipiente aberto cheio de milho

A Ucrânia e a Rússia assinaram, em 22 de julho, acordos com a Turquia e a ONU para desbloquear a exportação de toneladas de cereais bloqueados nos portos do mar Negro

Numa cerimónia realizada na cidade turca de Istambul, sob a mediação de Ancara e da ONU, foram assinados dois documentos similares mas em separado, já que a Ucrânia recusou assinar o mesmo papel que a Rússia. O protocolo irá vigorar durante quatro meses, sendo, no entanto, renovável

O acordo de Istambul inclui dois documentos: um sobre as exportações de cereais da Ucrânia e outro sobre a exportação de produtos agrícolas e fertilizantes russos

Os documentos determinaram a criação do centro de controlo em Istambul, dirigido por representantes das partes envolvidas: ucranianos, russos, turcos e representantes da ONU, que deverão estabelecer o cronograma de rotação de navios

O acordo implica que passe a ser feita uma inspeção dos navios que transportam os cereais para garantir que não levam armas para a Ucrânia

A Rússia lançou em fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia, condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo